ONG ajuda mães que moram em favelas de todo o Brasil

Projeto "Mães da Favela" auxilia cerca de 40 mil mulheres

ONG ajuda mães que moram em favelas de todo o Brasil

Por Vanessa Rabello


A pandemia do novo coronavírus aumentou a vulnerabilidade de pessoas com baixa renda e, pensando nesta consequência da pandemia, a CUFA (Central Única das Favelas) criou o projeto “Mães da Favela”.


A ação, voltada para mulheres com filhos - solteiras ou não - tem como objetivo auxiliar as chefes de família por meio de um benefício de 120 reais, durante dois meses. O apoio financeiro é destinado a mães que são, em sua maioria, diaristas, boleiras ou manicures e tiveram redução significativa em seus orçamentos.


Marcivam Barreto, Coordenador da CUFA Estadual e presidente da CUFA de Heliópolis, afirma que cerca de 40 mil mães são atendidas pelo projeto em todo o Brasil (sendo 10 mil só em São Paulo). “O valor é pago via PicPay e o cadastro é feito pela biometria facial. Para quem não tem celular que viabilize o uso do aplicativo é entregue um cartão que pode ser utilizado em supermercados”.


De acordo com o coordenador, o programa recebe também ajuda de artistas por meio de lives que têm sido realizadas nos últimos dias. “[Com isso], recebemos 50 toneladas em produtos de higiene, cesta básica e materiais didáticos para crianças.” Somente na favela do Heliópolis (zona sul de São Paulo), segundo o líder comunitário, 5 mil famílias recebem doações.


O historiador e professor da Unicamp Leandro Karnal está entre as figuras conhecidas do público que endossam a importância do projeto. “Enquanto a classe média administra o tédio e os atritos familiares, as classes baixas nas comunidades estão enfrentando risco de falência alimentar, além da quebra de perspectiva de renda. Vale muito a pena ajudar o programa, como eu mesmo já fiz”, disse, em entrevista à Alpha. 


Para conhecer esta ação, acesse o site.