REDES SOCIAIS


BIOGRAFIA

Integrantes: Ana Clara e Vitória

Origem: Araguaína, Tocantins

Gênero (s): folk, folk pop, pop rural

Bem ao norte do paraíso brasileiro, a estudante Ana Clara Caetano Costa costumava compor suas músicas e gravar algumas covers acompanhada da amiga de escola, Vitória Fernandes Falcão O ano era 2013. E esse conto pop rural que brotou em Araguaína, no Tocantins, começou se espalhar pelos likes do YouTube até chamar a atenção do cantor pop Tiago Iorc. Esta foi a semente para a dupla Anavitória, com seu nome sugerido por Iorc – sem dúvida – o principal responsável por modelar o som das artistas que naquele instante se revelavam para todo o Brasil.

 Logo após a descoberta, as garotas gravariam o primeiro EP pelo recém-criado selo Forasteiro com “Chamego Meu”, “Singular” (as duas primeiras, canções originais),Tententender” e “Cores”. Tudo com produção de Tiago Iorc em parceria com Jeff Pinas e Felipe Simas. Com a ótima receptividade do som, logo a dupla entraria em estúdio para dar à luz ANAVITÓRIA (2016), seu primeiro álbum. O disco foi extremamente bem-sucedido, graças aos singles “Trevo (Tu)”, composto em parceria com Tiago Iorc e “Agora eu Quero Ir”.

Com duas músicas em alta, Anavitória voltara ao trabalho para completar “Fica” – single gravado com Matheus & Kauan, o terceiro grande hit da dupla em 2017. Nesse mesmo ano, chega às plataformas digitais Anavitória Canta para Pessoas Pequenas, Pessoas Grandes e Não Pessoas Também, EP feito para o Dia das Crianças. O ano terminaria histórico para Anavitória, com a conquista do Grammy Latino Melhor Canção em Língua Portuguesa para “Trevo (Tu)”.

Animadas com o sucesso do EP para a criançada, Anavitória tratou de brindar os carnavalescos com Anavitória Canta para Foliões de Bloco, Foliões de Avenida e Não Foliões Também (2018), que trouxe a inédita Clareiamô. Enquanto cuidavam das músicas que entrariam no segundo álbum, a dupla se envolveria em outras frentes, com destaque para N, com Nando Reis, Pra Me Refazer, com Sandy, além da versão do clássico Tocando em Frente, de Almir Satter.

No East West Recording, em Los Angeles, Ana e Vitória tiveram ao seu dispor toda a tecnologia para fazer O Tempo é Agora, novamente com Tiago Iorc na mesa de som. O novo disco escancarou uma evolução sonora e criativa, com arranjos mais encorpados. “Ai, Amor”, o primeiro single, seria outro sucesso comercial.

Curiosidades: Antes de emplacarem na carreira como cantoras profissionais, Ana cursava medicina e Vitória cursava direito. Em 2018, após breve passagem pelas salas de cinema, a Netflix lançou o longa Ana e Vitória, de Matheus Souza, produção parte ficção, parte realidade.

 

 

MAIS ARTISTAS

Todos os artistas

r