The Lumineers faz show emocionante e aquece o público no Espaço Unimed

O Espaço Unimed foi palco do show do grupo The Lumineers neste domingo (5). O grupo que foi formado em 2005 emocionou o público com suas músicas nostálgicas e melancólicas. Com mais três álbuns a banda foi formada inicialmente por Wesley Schultz e Jeremiah Fraites.

 

Quem abriu o show foi o grupo Terno Rei, cantando hits como “Dias da Juventude”  e “Dia Lindo”. Eles puderam ouvir a plateia cantar em alto e bom som a música “Solidão de Volta”, fruto do álbum lançado em 2019, chamado “Violeta”.

 

“Para quem chegou agora somos o Terno Rei e estamos muito felizes de celebrar esse dia, ficamos muito felizes de abrir esse show, ouvimos muito o The Lumineers e hoje é um dia lindo”, disse o vocalista fazendo referência a uma de suas músicas.

 

The Lumineers entrou no palco ao som de “Desperado” da Rihanna e surpreendeu o público com a escolha da música, todas as luzes ficaram vermelhas e o grupo entrou no palco com uma plateia muito agitada. A setlist começou com um clássico “Cleopetra”, um dos maiores hits da banda e a plateia entoou alto o verso “But I was late for this, late for that. Late for the love of my life”.

 

Logo em seguida veio “Flowers” e “Ho Hey”, que já foi trilha sonora da novela “Sangue Bom” com Sophie Charlotte e Marcos Pigossi. “A última vez que viemos para o Brasil foi há 9 anos atrás, obrigado por terem esperado tanto tempo pela nossa volta. Toda vez que postamos alguma coisa nas redes sociais, alguém comenta “Come To Brazil”, disse Wesley, fazendo o público rir.

 

Na sequência tocaram “Angela” e durante a apresentação teve pedido de casamento na plateia, o que deixou o público vibrando e rendeu uma salva de palmas para o casal. Antes de cantar “Dead Seat”, o vocalista se emocionou ao contar que escreveu após um acidente de carro que sofreu com a esposa há alguns anos “O nosso carro capotou três vezes, saímos desse acidente com alguns ossos quebrados, mas vivos, tudo aconteceu muito rápido e essa música é sobre isso, mas ela se tornou algo além. Se me dissessem na época que eu estaria aqui me apresentando em São Paulo eu não acreditaria, então obrigado por estarem aqui e me trazerem de volta”.

 

Além disso, ele também contou que casais geralmente falam que sua primeira dança juntos foi ao som de “Ho Hey”. “Muitos contam que sua primeira dança foi ao som de “Ho Hey”, mas essa música é sobre o término. Mas essa que vamos tocar agora é sobre o amor, recomendo que se casem com essa”, afirmou ele de forma brincalhona. Sendo assim, Wesley ainda fez uma ressalva, contando que sua esposa afirmou que ele era seu “dead seat” e isso foi uma das coisas mais românticas que ele já ouviu.

 

Durante “Where We Are” o pianista, que tocava descalço, pediu para o público levantar os braços e a galera seguiu o pedido provando que as pessoas que estavam ali eram fãs de verdades.

 

Em “Slow It Down” o globo de discoteca acendeu, iluminando o espaço de uma forma romântica, deixando o ambiente com uma luz encantadora. E teve mais, durante uma das músicas o vocalista desceu, pulou a grade e cantou no meio do público, uma fã chegou a colocar uma coroa de flores em sua cabeça, ao qual ele recebeu com agrado e deixou até o fim da canção.

 

Quem merece um destaque é a violinista, Lauren Jacobson,  que deu um show em “Gale Song”, ela que até então ela se mostrava tímida no palco,  brilhou de forma radiante durante a canção. No decorrer de “Sleep On the Floor” surgiram três bandeiras no Brasil no palco. Eles também ficaram em uma pose, como se fossem estátuas, a luz diminuiu e só apareciam suas sombras, um momento muito bonito que levou o público a um barulho ensurdecedor.

 

No fim eles terminaram com “Stubborn Love”, onde o público gritou com todo o ar nos pulmões o verso “It’s better to feel pain than nothing at all. The opposite of love’s indifference”. Além de agradecerem o Terno Rei e o Brasil pelo carinho e presença, The Lumineers fez um show digno, emocionante, agitado e sem dúvida, muito bonito.

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados