As mulheres que marcaram a trajetória do cinema

Mulheres marcaram, e ainda marcam, a história do cinema.

A história do cinema marca diversos acontecimentos memoráveis. Ademais, desde sua criação, a indústria passou por mudanças e adaptações que levaram ao nível excepcional presente nas produções nos dias de hoje.

Entretanto, as mulheres sempre tiveram forte influência e presença neste contexto. Assim, elas não só ajudaram, como também tiveram papéis-chave que lapidaram o cinema mundial para as grandes massas, o tornando, desta forma, como uma das artes mais poderosas existentes.

Com isso, relembre algumas, das muitas, mulheres que marcaram a trajetória do cinema:

Janet Gaynor

A norte-americana Janet Gaynor foi a primeira mulher a ganhar um Oscar. O feito histórico aconteceu em 1929, quando ela levou a categoria de Melhor Atriz por sua atuação em três filmes: ”Sétimo Céu” (1927), ”Aurora” (1927) e ”O Anjo das Ruas”. Aliás, nesta época, o Oscar premiava os profissionais por mais de uma obra, modelo de avaliação descartado atualmente.

Alice Guy-Blaché

Alice Guy-Blaché é considerada como a primeira cineasta feminina na história. Ademais, também foi pioneira nas produções cinematográficas francesas e mais de mil filmes são atribuídos em seu nome entre o período de 1896 e 1922. Por último, mas não menos importante, Alice desenvolveu técnicas que são utilizadas até hoje no meio.

Dorothy Dandridge

O nome de Dorothy Dandridge ficou marcado como a primeira mulher negra indicada ao Oscar. O feito aconteceu em 1954 por sua atuação no filme “Carmen Jones”. Aliás, ela disputava a estatueta com outras artistas renomadas, como Audrey Hepburn, Judy Garland, Jane Wyman e Grace Kelly, que acabou vencendo.

Meryl Streep

Com um portfólio invejável em mais de décadas de carreira, Meryl Streep consolidou seu sucesso no cinema mundial e é a pessoa que mais recebeu nomeações ao Oscar, colecionando 21 indicações.

Barbra Streisand

Pouquíssimos atrizes, e até mesmo atores, conseguiram a mesma conquista que Barbra Streisand. Isso porque ela detém o chamado, e cobiçado, EGOT. Ele consiste nos prêmios do Emmy, Grammy, Oscar e Tony, que são os maiores do meio artístico.

Leia também: Oscar: 2024: “Oppenheimer” faz o retrato de um homem complicado

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados