Bloquinho homenageia Rita Lee após morte da cantora

Carnaval de 2024 é o primeiro após a morte da cantora

O tradicional bloquinho Ritaleena desfilou, no último sábado (3), pela primeira vez após a cantora Rita Lee ter “virado perfume, ido habitar o cosmo, nos anéis de Saturno”, como descreveu uma das fundadoras do cordão carnavalesco, Alessa Camarinha.

Entretanto, o bloco continuou embalado por releituras, em roupagem de carnaval, dos maiores sucessos da artista, como ““Bem Me Quer, Mal Me Quer”; “Ovelha Negra”, entre outros hits memoráveis.

Segundo Alessa, algumas músicas do repertório de Rita Lee já tinham um pouco da essência carnavalesca, como “Lança Perfume”. No entanto, as outras canções precisaram de arranjos para entrar no clima da folia.

Ademais, o desfile, que percorreu a Avenida Sumaré, teve como temática um trecho da música “Top Top, Para Pintar Seu Nome no Céu”.

Rita Lee

Rainha do Rock, Rita Lee morreu em 2023, aos 75 anos, na capital paulista. Ela lutava contra um câncer primário no pulmão esquerdo que foi diagnosticado em maio de 2021. A descoberta da doença se deu após um exame de rotina.

Em sua carreira de 60 anos, Rita Lee se consolidou no rock, mas flertou ao longo do tempo com vários gêneros, como pop rock, new wave, bossa nova e até eletrônica.

Aliás, ela passou a marca de 55 milhões de discos vendidos. Assim, se tornou a artista feminina mais bem-sucedida em vendas no Brasil e a quarta em geral, atrás de Tonico & Tinoco, Roberto Carlos e Nelson Gonçalves.

Entre seus principais hits, estão: “Lança Perfume”, “Ovelha Negra”, “Mania de Você”, “Amor e Sexo”, “Baila Comigo” e Agora Só Falta Você”. Seu último trabalho foi com o álbum ‘Reza”, lançado em 2012 e produzido por Roberto de Carvalho e por Apollo Neve. O disco conta com 14 faixas, todas escritas por Rita Lee.

Leia também: Carnaval 2024: três bloquinhos em SP que fogem do convencional

Por: Giovana Marchesini

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados