Dia Mundial do Gótico: as 15 melhores músicas góticas da história

Data é celebrada no dia 22 de maio desde 2009; confira as faixas mais icônicas do estilo, de acordo com a revista Rolling Stone

O Dia Mundial do Gótico é comemorado nesta quarta-feira (22). Decretada em 2009, a data celebra o movimento da subcultura, associado a vestimentas e costumes mais sombrios e obscuros, além de inúmeras expressões artísticas, incluindo a música.

Conforme o site oficial, a escolha da data teve um propósito. Tudo começou com uma comemoração em menor escala no Reino Unido. Sobretudo, na ocasião, a rádio BBC 6Music fez uma transmissão focada no punk, Brit -pop e música gótica, justamente no dia 22 de maio do ano mencionado.

“O Dia Gótico é exatamente o que diz o título: um dia em que a cena gótica celebra suas personalidades e a oportunidade de tornar sua presença conhecida pelo resto do mundo”, afirma a página.

Sendo assim, separamos as 15 melhores músicas góticas da história, de acordo com a Rolling Stone. Aliás, a lista, com 50 faixas, teve sua publicação em 2022.

As 15 melhores músicas da história, segundo a Rolling Stone

1 – Bauhaus – Bela Lugosi’s Dead

2 – Siouxsie and the Banshees – Spellbound

3 – The Cure – Disintegration

4 – David Bowie – Starman (Versão do Top of the Pops)

5 – Sisters of Mercy – Dominion

6 – Screamin’ Jay Hawkins – I Put a Spell on You

7 – Joy Division – Atmosphere

8 – Danse Society – Heaven Is Waiting

9 – Sex Beat – Sex Beat

10 – Virgin Prunes – Baby Turns Blue

11 – The Birthday Party – Release the Bats

12 – Iggy Pop – Funtime

13 – The Cult – She Sells Sanctuary

14 – Christian Death – Spiritual Cramp

15 – Sex Gang Children – Sebastiane

Sobre “Bela Lugosi’s Dead”

O Bauhaus é um dos nomes mais fortes do rock gótico – ao lado de outras bandas, como The Cure, The Cult, Siouxsie and the Banshees e Sisters of Mercy. Não é à toa que a Rolling Stone colocou “Bela Lugosi’s Dead”, lançada em 1979, no topo das músicas góticas.

Então, a revista explicou a escolha:

“‘Bela Lugosi’s Dead’, de 1979, foi a primeira música que a Bauhaus gravou: ‘Foi como se tocássemos essa música estranha há anos’, escreveu o baixista David J Haskins em sua autobiografia. ‘Todas as peças se encaixaram perfeitamente e, de repente, tínhamos um épico de nove minutos totalmente criado em nossas mãos. Magia do nada’. […]. Acima de tudo, a música também é a trilha sonora dos seis minutos mais importantes da história gótica: a sequência de abertura do filme ‘Fome de Viver’, em que David Bowie interpreta um vampiro faminto de desejo perseguindo sua presa enquanto ‘Bela Lugosi’s Dead’ ecoa por um clube subterrâneo.”

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados