É possível dar empate no Oscar? Relembre quando isso já aconteceu

Seis empates já aconteceram na história da premiação.

Anualmente, a Academia do Oscar tem uma decisão difícil: quais os ganhadores que serão reconhecidos como os melhores da indústria do cinema? O times especializado, que conta com mais de 9 mil pessoas, votam em outras dezenas de nomes que concorrem em diversas categorias. Assim, são raros os casos de empate, mas e se isso acontecer?

Ademais, vale lembrar que o Oscar caminha para seus 100 anos de realização. Em 2024, a edição é de número 96 e, como sempre, conta com profissionais aclamados pelo público e crítica como nomeados na cerimônia que ocorre no próximo dia 10.

Desta forma, acontecimentos dos mais variados tipos já marcaram a história do Oscar, inclusive os empates. Quando eles acontecem, a Academia decide fazer o mais justo e premiar os dois indicados. Aliás, isso já ocorreu seis vezes.

Confira os casos de empate que já aconteceram no Oscar:

Em sua quinta realização, em 1932, o Oscar já se via em uma situação complicada. A categoria de Melhor Ator contava com Frederic March, por “O Médico e o Monstro”, de 1931, e Wallace Berry, por “O Campeão”, de 1931. Assim, os dois foram nomeados como vencedores e compartilham a estatueta.

Aliás, este não foi um verdadeiro empate de acordo com um documento divulgado pela Academia. Isso porque Fredric March teve um voto a mais que Wallace Beery. Entretanto, as regras da época determinavam que se um nomeado chegasse a três votos do vencedor, ele também receberia o prêmio. Posteriormente, as regras foram alteradas e apenas a correspondência exata nos totais ficou estabelecida para ser qualificada como empate.

Anos, depois em 1949, isto aconteceu novamente: “So Much for So Little” e “A Chance to Live” levaram cada um o prêmio de Melhor Documentário em Curta-Metragem.

O mais famoso empate no Oscar; e também os sucessores

Já na edição de 1969, Barbra Streisand chegou com tudo na indústria cinematográfica por sua atuação como a protagonista Fanny Brice, no musical “Funny Girl”, de 1968. Entretanto, a experiente colega de área Katharine Hepburn também estava na disputa de Melhor Atriz. Assim, Streisand subiu ao palco de mãos dadas com o diretor de Hepburn, Anthony Harvey, para ambos pegarem o prêmio. As duas atrizes receberam 3.030 votos.

Quase duas décadas posteriores, em 1987, foi a vez de “Artie Shaw: Time is All You’ve Got” e “Down and Out in America” ganharam juntos a categoria de Melhor Documentário. Ademais, o feito causou surpresa já que as obras reproduziam universos totalmente distintos. Isso porque “Artie Shaw” tratava sobre o famoso clarinetista de jazz, enquanto “Down and Out” se construiu como uma crônica sensível da pobreza.

Marcando o quinto empate no Oscar, e também a edição de de número 67 da premiação, outros dois curtas-metragens tiveram empate: “Trevor”, de1994, e “Franz Kafka’s: It’s a Wonderful Life”, de 1993, compartilharam o troféu na cerimônia de 1995.

Por último, e mais recente, os filmes “Skyfall” e “Zero Dark Thirty” também dividiram a famosa estatueta dourada em 2013 na categoria de Melhor Som.

O responsável pelo anúncio era o ator Mark Wahlberg, que se mostrou confuso ao ler o envelope. “E o Oscar vai para… Temos um empate! Não estou brincando: nós realmente temos um empate”, declarou. Paul N.J. Ottosson, o editor de som de “A Hora Mais Escura, fez o primeiro discurso, seguido por Per Hallberg e Karen Baker Landers, de “007: Operação Skyfall”.

Leia também: As mulheres que marcaram a trajetória do cinema

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados