Terceiro e último dia de Lollapalooza celebra artistas nacionais

Destaques ficaram na apresentação de Gilberto Gil, Céu e Benziê

A presença expressiva de grandes artistas da música nacional marcou os primeiros dois dias de line-up do Lollapalooza Brasil 2024. Neste domingo (24), data final, não foi diferente.

Benziê traz leveza

O Benziê abriu as atividades do Palco Budweiser. Com uma ventania quase poética, o duo formado pelo casal Vic ​Conegero e Du​ ​Pesso vestia roupas de cores terrosas, que complementavam a positividade e calmaria de seu som – aliás, pautado por músicos de apoio e muitos instrumentos ao vivo, como rocar, tambores, trompete, pandeiro e triângulo.

Não é à toa que a dupla agradeceu por diversas vezes o público presente e a organização, convidando os fãs a expressarem a gratidão pela “dádiva” de estarem ali e de terem pessoas queridas ao seu lado.

Também fizeram menções ao mar e às bençãos da água salgada. “Tenha do Seu Lado”, “Água Salgada” e “Que Saudade de Você” integraram o repertório. O set incluiu ainda uma homenagem para Rita Lee, com a faixa “Agora Só Falta Você”, e um discurso sobre a importância da música brasileira como um todo, sobretudo a independente. “É na boa que a gente vai”, disse a cantora antes de encerrarem com a “praticamente oração” “Viagem Boa”.

Céu e sua elegância

Pouco depois, chegou a vez de Céu subir ao Palco Alternativo para celebrar a música nacional. Com óculos de sol, grandes brincos de argola dourados e um vestido azul junto de um salto, a cantora fez um show semelhante ao figurino: elegante. Mostrou seu alcance vocal em músicas como “Coreto”, que faz uma menção ao Alpha By Night, e transpareceu carinho aos fãs. Aliás, o telão monocromático, às vezes apenas vermelho, azul, verde ou rosa, ampliava a experiência e, de fato, transportava o público para o universo da artista. “Tá batendo esse som?”, perguntou em determinado momento, emendando em seguida um pedido por justiça.

“Vocês conhecem essa, né? “, disse com um sorriso quando começou “Malemolência”. “Lindezas, venham venham”, complementou. Depois, o repertório contou com as faixas “Mil e Uma Noites de Amor”, “Gerando na Alta” (como uma “prévia” para o seu próximo disco), entre outras, envolvendo quem estava presente por meio da energia contagiante dos instrumentais e a voz marcante da estrela. Não faltou agradecimento ao público por apoiar, em suas palavras, uma “compositora e cantora mulher”. Por fim, encerrou a performance com “Varanda Suspensa”, dedicada aos latino-americanos, sob inúmeros aplusos.

O espontâneo Gilberto Gil

Então, quem roubou a cena foi Gilberto Gil. Para um Palco Samsung Galaxy lotado no fim da tarde, o ícone da música nacional fez o público – que incluía sua filha Preta Gil – sair do chão mesmo com muita lama. Logo de cara, saudou a “presença jovem e bonita” na plateia, não só de SP, como de outros lugares. Espontâneo, tirou um momento para que a guitarra fosse equalizada antes de “Realce”, parou para pedir uma água com o intuito de “molhar a garganta” e até saiu rapidamente com o intuito de arrumar seu cinto, “para a calça não cair”. Chegou a dizer que achava que apenas “uns quatro ou cinco meninos” assistiriam à apresentação. Sem dúvida, a performance trouxe brasilidades, uma banda afinada e muita bagagem histórica e cultural.

“Vocês tomaram conta da música mundial, viva a juventude brasileira”, entoou o cantor que, apesar de tantos anos de carreira, continua arrastando multidões de todas as idades. O coral alto, quase um verdadeiro dueto com o público, em “Vamos Fugir”, “Aquele Abraço”, “Andar com Fé” (com direito a registros de Gil ao longo dos anos nos telões), “Nossa Gente” (cheia de dancinhas) e “A Novidade” não mentiram!

Também sobrou espaço para interações intimistas e agradecimentos pelos gritos de “Gil, eu te amo”. “Hoje a chuva deu uma tréguazinha mas eu soube que ontem teve uma lama danada daquelas, colocando o sapato na lama. Festival é assim, fico lembrando de Woodstock lá atrás”, brincou. Assim, encerrou com “Toda Menina Baiana”, com imagens de Ivete Sangalo, Daniela Mercury, entre outras mulheres, no telão.

Ainda, a programação contou com Hungria, Braza, YMA, Rael e Livinho, que fez um tributo para Michael Jackson. Saiba mais clicando aqui.

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados