Oscar 2024: “Vidas Passadas” debate a vida adulta de forma realista

Para quem adora a trilogia “Antes do Amanhecer”, com Ethan Hawke e Julie Delpy, com certeza vai adorar “Vidas Passadas”, indicado ao Oscar na categoria “Melhor Filme”. A produção conta a história de dois amigos que se conhecem na infância na Coreia do Sul. No entanto, os dois se afastam quando Nora precisa se mudar com seus pais para os Estados Unidos.

Após 24 anos da separação, os dois se reencontram quando Hae Sung vai passar suas férias em Nova York. Ele decide que vai procurar por sua amiga de infância e quase namorada. No entanto, o que o surpreende é o fato dela estar casada há 7 anos com um escritor.

Ainda assim, os dois decidem se encontrar e relembrar os bons momentos que viveram juntos. Aos poucos, a gente acompanha eles debatendo o que poderia ter sido, caso Nora não tivesse saído da Coreia do Sul, ou se eles tivessem decidido investir em um relacionamento à distância quando eram novos.

Celine Song é muito sensível na direção do longa-metragem. Ela traz uma delicadeza e uma intimidade entre os três personagens principais que é difícil de atingir. Além disso, o roteiro não é previsível. Vidas Passadas debate o que é um amor maduro, quais decisões a vida adulta exige e os caminhos que a vida nos leva.

Se estivéssemos falando de uma comédia romântica típica de Hollywood, já saberíamos o final. Mas o que torna este filme tão genial é justamente o seu toque de realidade que chega quase machucar.

Outra camada de importante discussão é o local do imigrante dentro dos Estados Unidos. Hae Sung entende Nora de uma forma que o marido dela nunca vai conseguir entender. Os dois compartilham valores culturais e memórias afetivas que só quem viver no país é capaz de entender.

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados