“Pérola Negra”, de Luiz Melodia, ganha tributo após completar 50 anos

Clássico da MPB completou 50 anos em 2023

“Pérola Negra”, álbum de estreia de Luiz Melodia, completou 50 anos em 2023. O projeto Pérolas Negras – Um Tributo a Luiz Melodia foi lançado para comemorar o feito. Aliás, o material conta com seis regravações do clássico disco, lançado em 1973, quando o músico tinha apenas 22 anos.

Com influência da MPB, blues e rock, o tributo já está nos streamings e conta com várias participações especiais, como: Mahmundi, Anelis Assumpção, Criolo, Liniker, Sandra Sá e Zezé Motta.

Ademais, toda a produção visual do projeto foi gravada e será exibida no canal BIS nesta quinta-feira (8), às 22h. O Multishow também irá divulgar o material no próximo sábado (10), às 14h30.

Sobretudo, “Pérola Negra” é um dos maiores clássicos da década de 1972 e não é à toa que algumas faixas foram regravadas depois por outros artistas. Afinal, a canção que leva o mesmo nome do disco teve uma releitura de Gal Costa, em 1971, em “Fa-Tal – Gal a Todo o Vapor”. Enquanto, em 1972, foi a vez de “Estácio, Holly Estácio” ganharem corpo na voz de Maria Bethânia no álbum “Drama – Anjo Exterminado”.

Aliás, o sucesso de “Pérola Negra” chegou a Rolling Stone Brasil, que incluiu a produção na posição 32 na lista dos 100 maiores discos da música brasileira, feita pelo próprio portal de notícias.

Luiz Melodia

Luiz Carlos dos Santos, mais conhecido como Luiz Melodia, foi um ator, cantor e compositor brasileiro. Nascido em 7 de janeiro de 1951, no Rio de Janeiro, ele morreu em 4 de agosto de 2017, também no estado carioca. O artista lutava contra um câncer que atacou a medula óssea.

Além de “Pérola Negra”, o cantor possui diversos outros discos, como “Maravilhas Contemporâneas”, de 1976, “Pintando O Sete”, de 1991, além de “Estação Melodia”, de 2007, e “Zerima”, de 2014.

Leia também: Documentário sobre “Clube da Esquina” ganha data de estreia

Por: Giovana Marchesini

spot_img

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados