Turá: três encontros surpreendentes que aconteceram no festival

O Festival Turá, um dos eventos mais aguardados no calendário cultural, está prestes a iniciar mais uma edição repleta de promessas e expectativas. Em suma, o evento é conhecido por sua celebração da diversidade cultural e artística e atrai entusiastas das artes de todas as partes do Brasil para se reunirem em um ambiente de criatividade e troca de ideias.

Além de seu valor artístico, o Festival Turá desempenha um papel significativo no impulsionamento da economia criativa local e na promoção do turismo cultural. Através da colaboração com estabelecimentos locais, o festival oferece oportunidades para artistas emergentes se apresentarem e exporem seus trabalhos. Além disso, contribui para o desenvolvimento da cena cultural da cidade e arrecada dinheiro para instituições parceiras.

No Festival Turá, as colaborações entre artistas são, sem dúvida, uma parte essencial do tecido criativo do evento, proporcionando oportunidades únicas para cruzamento de fronteiras artísticas e culturais. Ao longo dos anos, o festival tem sido palco de uma série de colaborações inspiradoras, onde cantores de diferentes origens e gêneros musicais se unem para criar experiências artísticas verdadeiramente memoráveis.

 

Aqui estão três notáveis colaborações de artistas que aconteceram no Festival Turá. Confira!

 

Pitty com Marcelo D2 e Céu

Em turnê com o show de celebração de 20 anos do disco “Admirável Chip Novo”, Pitty participou com seu show no festival Turá, de 2023. Com a sequência “Teto de Vidro”, “Máscara”, “Equalize” e “I Wanna Be”, ela entregou uma performance de nostalgia naquela tarde de domingo, em São Paulo.

Na metade da apresentação, a artista recebeu Céu para cantarem juntas “Varanda Suspensa” e “Me Adora”. Posteriormente, ela cantou “Na Sua Estante” e “Memórias”, antes de chamar Marcelo D2. O rapper aproveitou a formação da banda de Pitty – guitarra, baixo e bateria – para evidenciar o repertório do Planet Hemp com “Mantenha o Respeito” e “Qual É?”. No encerramento, o trio fez uma versão de “Divino Maravilhoso”.

Maria Rita com Sandra de Sá

Por outro lado, também no ano passado, o samba foi representado por Maria Rita. Ela cantou músicas como “Sorriso Aberto” e “Maltratar Não é Direito”, amostras do repertório do disco “Samba de Maria”, lançado em fevereiro de 2023. A convidada Sandra de Sá entrou no final de “Enredo do meu samba” e juntas cantaram “Soul Verão” e “Olhos Coloridos”. “O Brasil é sarará”, falou Sandra antes de deixar o palco. No telão, palavras como “democracia” e “axé” se alternaram com letras de músicas e nomes de compositoras como Jovelina Pérola Negra.

Baco Exu do Blues com Marina Sena e Ily

Baco Exu do Blues, conhecido por suas letras provocativas e estilo único, se uniu a Marina Sena, uma das vozes mais promissoras da nova geração da música brasileira, e Illy, uma produtora e multi-instrumentista aclamada pela crítica. A colaboração entre eles aconteceu na edição de 2022. Aliás, a combinação do rap poético do cantor, a voz suave e envolvente de Sena e os arranjos inovadores de Illy Gouveia se tornaram uma mescla única e satisfatória. Em um momento só da dupla feminina no palco, as duas interpretaram a faixa “Quente e Colorido”. Composta por Sena, a canção  integrou o último álbum da cantora baiana.

Sobre o Festival TURÁ 2024

A terceira edição do Festival TURÁ 2024 acontece no Parque Ibirapuera, em São Paulo, nos dias 29 e 30 de junho. Em resumo, as atrações principais são: Djavan, Chitãozinho & Xororó, Alcione, Adriana Calcanhotto, Chico César & Zeca Baleiro, Fresno. Além deles, Nação Zumbi, Banda Uó, Armandinho, Assucena, Os Garotin e Filipe Catto também compõem a programação. Por fim, a venda de ingressos já está disponível por meio do site Tickets For Fun.

Leia também: A melhor música dos Beatles, na visão de Paul McCartney

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados