5 dicas para manter seu cachorro idoso mais feliz

É tão bom quando ficamos tanto tempo ao lado de alguém que possa nos transmitir paz e alegria. Não há nada melhor do que estar com um cachorro que você escolheu para ser seu parceiro de jornada. Mas, com o tempo, nosso amiguinho acaba perdendo sua disposição, mas nem por isso ele deixa de demonstrar amor e carinho. 

Como as necessidades só aumentam com o passar da idade, você precisa ficar atento a todos os sinais, por isso, separamos algumas dicas para cuidar cada vez mais do nosso amiguinho que possui uma idade mais avançada. 

Saúde Bucal

Motivo de grande preocupação entre os idosos humanos, os dentes também requerem atenção nos animais com a idade avançada. Ao contrário de nós, que estamos preocupados também com a questão estética, o cão não tem vaidade e precisa de dentes fortes para continuar roendo seus brinquedos e mastigando a ração, e igualmente saudáveis para prevenir uma série de outras doenças, como inflamação gengival, gengivite e demais doenças.

Claro que a escovação não cabe somente na fase sênior do cachorro,  desde filhote é necessário acostumá-lo a ter seus dentes higienizados. 

{ galeria 1193 }

Caminhadas são essenciais 

Caminhadas são atividades que precisam estar presentes na rotina, pois ajudam a manter o corpo saudável, controlam o estresse, aliviam a ansiedade e ainda ajudam a estreitar o relacionamento entre o dono e o pet.

Se a raça do seu cachorro pede mais movimentação e exercícios, continue incluindo práticas de corridas e desafios de agilidade. O importante é respeitar os limites dele, que à medida que envelhece vai perdendo em termos de condição física, mas sem deixar de mantê-lo ativo para garantir que o seu desenvolvimento  continue funcionando com eficiência.

 { galeria 1194 }

Aumente as visitas ao veterinário

Com  o passar dos anos, alguns pets precisam que o intervalo seja menor para visitar o veterinário. Mas, como a saúde do cachorro fica mais fragilizada quando ele se torna um idoso e as doenças tendem a surgir com maior frequência, o ideal é que as consultas com o doutor(a) sejam a cada seis meses, para assegurar que, de fato, está tudo bem com o seu amiguinho.

Algumas doenças dão sinais antes de se manifestarem, facilitando o tratamento preventivo. Já outras têm maior chance de desaparecerem ou de serem controladas quando ainda estão em seu estágio inicial. Por isso é melhor prevenir.

 { galeria 1195 }

Exercícios Mentais 

Outro cuidado que não pode ser esquecido, é ficar atento à saúde mental do seu pet, que ao longo dos anos vai necessitando de mais cuidados e atenção.

Sabe as frequentes mudanças de humor, a dificuldade em reconhecer as pessoas e até mesmo não responder àqueles comandos que ele atendia prontamente? Esses são alguns indícios que o processo de aprendizado e elaboração de conhecimento do cão já não anda tão afiada e precisa de ajuda médica para não ficar ainda mais comprometida.

Para evitar chegar a essa condição, você deve exercitar diariamente a mente do seu pet. E para isso é só caprichar nos brinquedos, levá-lo para explorar novos ambientes, desenvolver truques novos e servir a ração em um comedouro lento. O importante é fazer o bichinho forçar a cabeça e explorar ainda mais seus sentidos.

{ galeria 1196 }

Dieta saudável

A alimentação é essencial durante a vida toda do cachorro, mas lembre-se que a partir do sétimo ano, o seu cão já pode ser considerado idoso e nesta fase é necessário oferecer uma alimentação que seja capaz de suprir e proteger ainda mais o organismo dele, que vai se desgastando, assim como acontece com a gente.

Uma ótima dica são as rações úmidas e secas ricas em glucosamina, condroitina, vitamina C e ácidos graxos ômega-3, que auxiliam na saúde do cérebro, pele e articulações e costumam ser as melhores opções. Além disso, você também pode adicionar à dieta do seu amiguinho frutas como maçã, pêra, banana, melancia e melão. 

{ galeria 1197 }

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados