Como se livrar das espinhas

Ela geralmente aparece do nada. Adora surgir no dia que você tem um encontro, uma festa e nem sempre desaparece com a rapidez que você deseja. De quem estou falando? Das inconvenientes espinhas. E se você acha que espinha é coisa de adolescente está redondamente enganado. Elas aparecem na fase adulta e tanto seu surgimento como tratamento devem ser observados com bastante atenção. Mudança hormonal, ovário policístico, estresse, alimentação ruim, falta de água, higienização errada, poluição, uso de capacetes e máscaras e a utilização de maquiagem e cosméticos vencidos ou inadequados são os principais fatores. 

Mas como se livrar das espinhas? Espremer ou não espremer? O que aplicar para que ela seque mais rápido? Esfoliar ou não esfoliar? A farmacêutica e cosmetóloga, Heloisa Olivan, fez uma listinha com o que devemos fazer e o que não devemos fazer quando o assunto é espinha. Confira. 

Cutucar, sim ou não? Não, não e não. A espinha é resultado de um processo inflamatório da pele e quando você mexe, essa inflamação se espalha. Além de ferir a região, suas unhas carregam milhares de bactérias o que pode provocar uma infecção de pele séria. Somente profissionais habilitados devem extrair cravos e espinhas. 

Pasta de dente seca espinha? Não. Nem pasta de dente, nem minâncora e muito menos leite de magnésio. Esses produtos são alcalinos e além de não fazerem efeito podem queimar a pele deixando a região escura. Limão e vinagre também são perigosos e não devem ser passados na pele. Use esses ingredientes na salada! 

Esfoliação sim ou não? Depende. A esfoliação pode desencadear microlesões na pele e deve ser feita com cautela, sem muita pressão, com produtos adequados e no máximo duas vezes por semana. Não estamos lixando uma parede! 

Maquiagem/creme têm prazo de validade? Sim e caso esse prazo vença, os danos para sua pele podem ocasionar a acne, alergias leves até mais sérias e muitas vezes alteração na cor e textura da cútis.

Espinha deixa cicatriz? Verdade e por isso espremer é o pior negócio. Toda lesão tem como consequência da cicatrização uma pele nova e muito sensível. É normal que o local tenha uma diferença na organização das fibras de colágeno, deixando aqueles buraquinhos tão difíceis de serem tratados, ou uma região com tonalidade diferente. Para ambos os casos, existem cosméticos e tratamentos que amenizam e deixam a pele homogênea novamente.

Por Heloísa Olivan, cosmetóloga, farmacêutica e bioquímica especialista em desenvolvimento nutracêuticos e cosméticos, em parceria com o Saúde Minuto. 

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados