Dia Mundial do Doador de Sangue: a campanha não pode parar

Por Larissa Martin

Por mais que a orientação do governo seja ficar em casa devido à pandemia do Novo Coronavírus, o Ministério da Saúde pede para que a população continue doando sangue e praticando esse ato heroico. O consumo de sangue nos hospitais é diário e contínuo, e, segundo dados divulgados pela Fundação Pró-Sangue, há riscos de o estoque acabar. Existe uma preocupação com a necessidade mais imediata, e elas são justamente nos estados com maior população e, então, maior consumo de bolsas. 

Não precisa se preocupar! A doação é segura e não traz riscos para quem a faz. Mas, fique atento às recomendações. Devido à pandemia da COVID-19, estão inaptos para a doação por um período de 30 dias, aqueles que apresentarem sintomas respiratórios e febre ou se tiverem tido contato, há menos de 30 dias, com casos suspeitos ou confirmados de COVID-19

Podem doar pessoas entre 16 e 69 anos. Para os menores de 18 anos, é necessário o consentimento dos responsáveis. Além disso, outra recomendação é pesar mais de 50 quilos e estar em bom estado de saúde. No momento da doação, procure evitar aglomeração de pessoas durante a coleta e, se possível, agende antecipadamente o dia que poderá ir no hemocentro. Preste atenção também se os profissionais estão seguindo as normas de limpeza e distanciamento de, no mínimo, 2 metros de distância. 

Para encontrar o hemocentro mais próximo de você, acesse prosangue.sp.gov.br. A fundação Pró-Sangue conta com 6 unidades de coleta na Região Metropolitana de São Paulo.

{ galeria 737 }

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados