Estado de São Paulo regride para Fase Vermelha da quarentena

O governo paulista anuncia, nesta quarta-feira (3), uma nova reclassificação do Plano São Paulo, com medidas mais duras da quarentena. De acordo com o governador João Doria, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes nesta tarde, todo o estado regride para a Fase Vermelha do Plano de Flexibilização Econômica, devido ao aumento recorde no número de infecções e internações pela Covid-19.

A alteração começa a valer na 00h deste sábado (6) e se estenderá por, no mínimo, duas semanas, até o dia 19 de março, com a tentativa da contenção do coronavírus. Com a medida, estarão liberados apenas os setores essenciais da economia, como farmácias, supermercados, postos de combustíveis, transportes coletivos e serviços de delivery e entregas. As escolas da rede pública e privada, no entanto, estão autorizadas a continuarem abertas. Com a configuração, as instituições de ensino poderão receber alunos com o limite máximo de 35% da capacidade, pois, no final do ano passado, o governo passou a considerar a educação como serviço essencial. Hoje, Doria também incluiu na lista as atividades religiosas. 

"Estamos em São Paulo à beira de um colapso. Isso exige medidas coletivas e urgentes. Por isso, estamos atendendo a recomendação do Centro de Contingência e reclassificando todo o estado para a Fase Vermelha", disse o governador. Também foi antecipado das 23h para às 20h o Toque de Restrição, com o objetivo limitar a circulação de pessoas nas ruas, além da fiscalização de aglomerações. 

Além disso, o governo também anunciou a abertura de 500 novos leitos destinados à Covid-19, entre 339 de Unidades de Terapia Intensiva e 161 de enfermaria, nos hospitais públicos, municipais e Santas Casas. 

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados