“Hey Jude”: os 50 anos do clássico dos Beatles

Ao pisar o solo inglês após meses de meditação na Índia, os Beatles se trancaram em Abbey Road para gerar o único disco duplo do grupo, apelidado pelos fãs de Álbum Branco. Nesse interim, o grupo decidiu lançar separadamente o single Hey Jude/Revolution, destinado a quebrar incontáveis recordes desde sua chegada em 26 de agosto de 1968.

A origem

Rumo à casa de John Lennon, guiando seu Aston Martin DB6 de Londres a Weybridge, Paul McCartney teve a ideia de compor uma letra como consolo ao seu afilhado Julian que logo ficaria sob a guarda da mãe Cynthia Powell, após o divórcio pedido por Lennon. O título original da balada seria Hey Jules, apelido do menino, então com 4 anos.

A controvérsia

Embora Paul garanta que Hey Jude seja uma mensagem para o afilhado, John Lennon sempre achou que os versos eram para ele. Em sua última entrevista, Lennon comentou à David Sheff, da Playboy: “O trecho – vá em frente, fique com ela – é Paul dizendo – faça isso mesmo, fique com Yoko.  Ao mesmo tempo, Paul não queria me perder como parceiro criativo”.

Os números

# O single Hey Jude (com Revolution no lado B) chegou às lojas em 26 de agosto de 1968. Primeiro nos EUA, e quatro dias mais tarde no Reino Unido.

# Hey Jude permaneceu mais de dois meses em primeiro lugar na parada de sucessos da Billboard.

# Com 7 minutos e 11 segundos de duração, a música é a mais longa da história a atingir o topo nas paradas do Reino Unido.

# No total, Hey Jude foi 1º lugar em 21 países, inclusive no Brasil. As vendas oficiais indicam mais de 6 milhões de singles somente nos EUA.

# A versão final de Hey Jude não foi produzida em Abbey Road, mas em 31/7/68 no Trident Studios, que possuía um gravador de 8 canais.

# Os Beatles rodaram o clipe de Hey Jude nos estúdios de Twickenham e o divulgaram pela primeira vez no programa Frost On Sunday em 8/9/68 da London Weekend Television.

@lphaFM

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados