Instituto Butantan e laboratório chinês farão parceria para vacina contra coronavírus

O governador João Doria anunciou, nesta manhã (11), uma parceria entre o Instituto Butantan e o laboratório chinês, Sinovac Biotech, para a produção de uma vacina contra o novo coronavírus que está na fase final de testes.

"O acordo prevê a participação de São Paulo na realização de testes clínicos dessa vacina, com o acompanhamento de 9 mil voluntários brasileiros a partir do próximo mês de julho", afirmou Doria.

Atualmente, a vacina encontra-se na fase três. De acordo com a empresa chinesa, a imunização foi eficiente na proteção de macacos rhesus. A fase 1 contou com a participação de 144 voluntários chineses e a fase 2 com 600. Agora a empresa irá conduzir os testes da fase 3 no Brasil em cooperação com o Instituto Butantan.

Ainda de acordo com o tucano, outros acordos com a Sinovac estão sendo feitos para garantir o fornecimento do produto ao país enquanto a tecnologia de produção da vacina é transferida para a instituição.

A estimativa é que, após a testagem, a imunização esteja disponível até junho de 2021.

Sobre a vacina

A vacina, que já foi aprovada para testes clínicos na China, usa uma versão do vírus inativo, o que significa que não há presença do coronavírus Sars-Cov-2 vivo na solução, o que reduz os riscos deste tipo de imunização.

Vacinas inativadas são compostas pelo vírus morto ou por partes dele. Isso garante que ele não consiga se duplicar no sistema. É o mesmo princípio das vacinas contra a hepatite e a influenza (gripe).

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados