Jerry Adriani: ‘Forza Sempre’

Por Claudio Dirani

No próximo dia 28, Jair Alves de Souza iria cumprir o sagrado ofício que cumpria há mais de cinquenta anos: viajar a cidade de Campinas, subir ao palco e cantar. Algo comum para um artista acostumado a fazer seu trabalho bem feito há tanto tempo.

O mesmo ofício seguido anos depois pelo jovem Renato Manfredini Junior, o Renato Russo, que adorava a voz ímpar, quase “operática” – e ao mesmo tempo pop de Jair.

Em verdade, é preciso dizer: poucos ligavam o nome de Jair ao de um astro. Mas muitos se encantaram pela música e doçura humana de Jerry Adriani, que nos deixou neste 23 de abril de 2017 aos 70 anos.

A Jovem Guarda

Nascido no Brás de imigrantes italianos em 29 de janeiro de 1947, Jerry Adriani atingiu o ápice artístico na era da Jovem Guarda. Justamente em 1964, enquanto os Beatles invadiam a América, Adriani lançava um disco antagônico para a beat music do grupo de Liverpool: o LP Italianíssimo, seguido por Credi a Me – acredite em mim, em italiano.

Nos anos 60, aliás, música italiana era muito poderosa no cenário pop e Jerry aproveitou o conhecimento do idioma ensinado pela avó na infância para se destacar.

Sendo assim, o jovem Jerry começava a conquistar seu espaço ao lado de outros gigantes do momento, como Roberto e Erasmo.

Na TV e no Cinema

Seu primeiro disco em português foi Um Grande Amor, de 1965 – um grande sucesso comercial, que o levou a apresentar um programa na TV Excelsior de São Paulo.  

O bom desempenho o levou à TV Tupi, onde ficou dois anos em outro programa, A Grande Parada, com participação de atrizes como Betty Faria e Marília Pera. A extinta Tupi, vale lembrar, foi o “berço artístico” de Jerry Adriani. O canal o lançou no showbiz, como vocalista do grupo Os Rebeldes.

No cinema, atuou em três filmes: Essa Gatinha é Minha, Jerry, A Grande Parada e Jerry em Busca do Tesouro.

A ligação com Raul Seixas

Por muito tempo, Raulzito e os Panteras foram músicos de apoio de Jerry Adriani até o momento de Raul Seixas brilhar como astro solo. Raul, aliás, chegou a produzir três discos de Jerry, bastante elogiados pela crítica, lançados em 1970 e 1971, com composições de Hyldon, Demétrius e do próprio Raul.

O fator Renato Russo

Renato e Jair tinham algo em comum: ambos achavam suas vozes parecidas. Infelizmente, não chegaram a gravar juntos. Em 1999, Jerry gravou o CD Forza Sempre, onde interpreta hits da Legião Urbana em italiano – uma bela homenagem com Carlos Trilha – o mesmo parceiro do grupo de Brasília – e produtor de Equilibrio Distante, de Renato Russo.

Seja onde estiver, Jerry e Renato estão juntos agora fazendo o que mais gostam. Cumprindo o ofício de cantor. Algo que faziam como poucos.

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados