Mães criam grupo para se ajudar durante a pandemia

Por Vanessa Rabello

"Sororidade" é uma palavra ainda pouco conhecida, que significa a união e a aliança entre mulheres baseada na empatia e no companheirismo para alcançar objetivos em comum.

É nesse conceito de rede de apoio que um grupo do Facebook, o Maternashop  com mais de 24 mil integrantes – tem sido fundamental para as mães empreendedoras nos desafios do trabalho pós maternidade. 

Em tempos de pandemia, essa união não poderia ser diferente. Após perceberem que muitas mães começaram a postar muitas preocupações em relação à falta de condições de pagarem contas essenciais, Clareana Eugênio, criadora do grupo, decidiu criar o fundo solidário Mãe Empreendedora para comprar cestas básicas, junto a outras três mulheres. “Como o fundo era pouco mais de mil reais, decidimos fazer pequenas vaquinhas para ajudar cada mãe pontualmente”.

Os principais pedidos recebidos são de comida, leite e fraldas. A equipe compra cestas pela internet e manda para a residência das participantes. Tem até auxílio para pagar boletos. "Fazemos vaquinha e pagamos nós mesmas", diz Clareana.

De acordo com ela, o grupo tem tentado ajudar todas as mães, mas como o caixa não é suficiente para a demanda, a preferência é para necessidades emergenciais, de alimentação.

Uma das mulheres que recebeu ajuda é Valéria Romeiro Ruiz. A diarista, de 51 anos (mãe de 4 filhos) faz parte do grupo há um ano e viu uma live de Clareana sobre a ajuda que estava sendo oferecida para as mães.

Valéria conta que o marido estava afastado do trabalho antes da pandemia pois havia quebrado o braço e, para ela, com a quarentena, a situação não estava fácil tendo apenas com um lar para fazer a limpeza por semana. “Quando vi sobre a ajuda e como estava tudo parado, eu pedi ao grupo para pagarem minha conta de luz", conta. E finaliza, grata pelo trabalho do Maternashop: "Tem sido uma saída para muitas mães de todo o Brasil."

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados