Ministro da Saúde afirma que vacina de Oxford deve começar a ser aplicada no final de fevereiro

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta terça-feira (08), em reunião com governadores, que a vacina da Universidade de Oxford contra o novo coronavírus deve começar a ser aplicada no Brasil no final de fevereiro e início de março do ano que vem.

Segundo o chefe da pasta, a Astrazeneca deve submeter o registro do imunizante em parceria com a Oxford até o final deste mês e o prazo para a análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária deve ser de 60 dias. "A previsão de uso no final de fevereiro para iniciarmos a vacinação", conclui Pazuello.

O governo destinou R$ 1,99 bilhão para o Ministério viabilizar a produção e/ou a aquisição de cerca de 100 milhões de doses do imunizante.

Deve chegar ao país em janeiro o primeiro lote com 15 milhões de doses, no mês seguinte mais 158 milhões e assim sucessivamente até junho. O ministro destaca que serão 260 milhões de doses do imunizante durante todo o ano de 2021, e o custo da dose é orçado em US$ 3,75.

Sobre a Vacina

Ainda hoje, a Universidade de Oxford publicou o primeiro resultado revisado do terceiro e último teste clínico da vacina contra a Covid-19, que apresentou 70,4% de eficácia média. Esta revisão foi publicada na revista científica The Lancet.

Segundo Pascal Soriot, CEO da AstraZeneca, a farmacêutica já deu início no envio de dados da vacina para autoridades regulatórias em todo o mundo para aprovação antecipada de uso e está pronta para entregar centenas de milhões de doses em escala global e sem lucro.

spot_img

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados