Mutação do novo coronavírus acende alerta e fecha fronteiras

Um alerta do Reino Unido, que classifica como “fora de controle” uma variação do novo coronavírus, em uma cepa que indica ser muito mais contagiosa do que a que se disseminava no país, acende o sinal amarelo e provoca uma reação em cadeia, com diversos países anunciando restrições a viajantes oriundos do local.

O primeiro-ministro, Boris Johnson, fez um recuo na reabertura do país e anunciou novas restrições, a fim de conter a disseminação da covid-19. "É com o coração muito pesado que digo que não podemos continuar com o Natal como planejado”, afirmou Johnson.

O Reino Unido elevou as restrições para o Nível 4 em Londres e no sudeste da Inglaterra e restringiu as movimentações em toda a Inglaterra durante o período festivo.

A Organização Mundial da Saúde afirmou estar em contato com as autoridades britânicas sobre o surgimento da nova variante. A mutação está se espalhando mais rapidamente do que a versão original, mas não é considerada mais letal.

Ainda de acordo com a OMS, a nova cepa também já foi identificada na Dinamarca, Holanda e Austrália.

Países fecham fronteiras

Hoje, a Argentina, a Colômbia, o Chile e o Peru decidiram fechar as suas fronteiras aéreas com o Reino Unido devido à nova variante do vírus. A medida entra em vigor nesta segunda-feira na Argentina, na Colômbia e no Peru e amanhã, dia 22, no Chile.

O Equador também está considerando fortalecer as medidas para controlar a propagação do vírus.

Ainda hoje, o Ministério da Saúde da Argentina, vai coordenar uma reunião de emergência para avaliar a situação de países vizinhos, especialmente do Brasil, onde o número de contágios voltou a crescer. Não é descartado um endurecimento das medidas de controle.

Austrália, Índia e Hong Kong também anunciaram a suspensão de voos saídos do Reino Unido.

Ontem, o Canadá se tornou mais um país a interromper voos após a descoberta da mutação por pelo menos 72 horas. Na mesma data, a França anunciou que suspenderia as viagens para o local por 48 horas. Tanto o porto Dover quanto o Eurotunnel anunciaram posteriormente os fechamentos.

A Irlanda informou a proibição de voos da Grã-Bretanha ao menos hoje e amanhã, de acordo com o governo irlandês, independentemente da nacionalidade, as pessoas não devem viajar para a Irlanda, por via aérea ou marítima.

Já a Itália, anunciou que proibirá a entrada de qualquer pessoa que esteve no Reino Unido nas duas últimas semanas. Portugal apenas irá permitir que portugueses cheguem em voos provenientes do local, com um teste para a doença.

Enquanto isso, a Bélgica bloqueará viajantes do Reino Unido por 24 horas, nesta segunda-feira, como medida de precaução, mas a medida pode ser estendida.

A Polônia também informou que o país suspenderá voos ligados ao local a partir de hoje à noite. Holanda, Estônia e Letônia anunciaram as restrições mais longas, que durarão ao menos até o ano novo.

Já a República Tcheca impôs uma quarentena obrigatória de 10 dias para qualquer pessoa que chegasse do Reino Unido a partir de domingo.

A Arábia Saudita, suspendeu todos os voos internacionais para viajantes, bem como a entrada por portos terrestres e marítimos por uma semana. A Turquia proibiu voos do Reino Unido, África do Sul, Holanda e Dinamarca. Israel suspendeu voos vindos da Grã Bretanha, Dinamarca e África do sul, e impedirá que cidadãos estrangeiros desses países entrem em seu território.

O Irã suspendeu voos de e para o Reino Unido por duas semanas ontem.

Veja também: https://www.alphafm.com.br/materia/2-milhoes-de-doses-da-coronavac-chegam-a-sao-paulo

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados