O início de Cazuza na banda Barão Vermelho

Quem nunca cantou ou escutou “Bete Balanço” ? O rock brasileiro dos anos 80 ficou marcado com o sucesso da banda Barão Vermelho, registrada num compacto do início de 1984, a canção estourou e se tornou um dos maiores hits liderados por Agenor de Araújo Neto, popularmente conhecido como Cazuza. 

A parceria de sucesso daria início através do cantor Léo Jaime, que soube que o Barão Vermelho estava procurando um vocalista e indicou Cazuza. Na garagem de Maurício Barros, na Praça Del Vecchio, deu início a união que daria origem a uma das melhores bandas de rock dos anos 90. O cantor mostrou à banda letras que havia escrito e após isso, começou a compor com Roberto Frejat . Dali para frente, a banda, que antes só tocava covers, passou a criar um repertório próprio. Com uma produção barata e gravado em apenas dois dias, foi lançado em 1982, o primeiro álbum da banda, Barão Vermelho. Das canções mais importantes, destacam-se "Bilhetinho Azul", "Ponto Fraco", "Down Em Mim" e "Todo Amor Que Houver Nessa Vida". Com muita energia, Cazuza foi superando suas limitações como cantor. Suas atitudes irreverentes e declarações espalhafatosas fizeram com que aparecesse cada vez mais como artista e personalidade.Com isso, ao longo dos anos, foi ganhando a fama de poeta do rock brasileiro. 

Em outubro de 1985, Cazuza foi internado para ser tratado de uma pneumonia. O cantor exigiu fazer um teste de HIV, no qual o resultado foi negativo. Em novembro de 1985 foi lançado o primeiro álbum solo. "Exagerado", a faixa-título composta em parceria com Leoni, tornou-se um dos maiores sucessos e marca registrada do compositor. O segundo álbum saiu no segundo semestre de 1986. Só Se For A Dois mostrou temas românticos como, "O Nosso Amor a Gente Inventa", "Solidão Que Nada" e "Ritual".

 Em outubro de 1989, depois de quatro meses à base de um tratamento alternativo em São Paulo, o artista partiu para Boston, onde ficou internado até março de 1990 voltando assim para o Rio de Janeiro. No dia 7 de julho do mesmo ano, Cazuza morreu aos 32 anos por um choque séptico causado pela AIDS. No enterro compareceram mais de mil pessoas, entre parentes, amigos e fãs. O caixão, coberto de flores e lacrado, foi levado à sepultura pelos ex-companheiros do Barão Vermelho. 

Em apenas dez anos de carreira, Cazuza deixou 126 canções gravadas, 78 inéditas e 34 para outros intérpretes. Além de conquistar o título de um dos maiores vocalistas masculinos de música contemporânea, o cantor foi promovido, pela revista Rolling Stone, como um dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Cazuza na 34ª posição. Para relembrar a carreira desse ícone, separamos algumas músicas para matar a saudade. Confira:

O Tempo Não Para

Exagerado

Ideologia 

O Nosso Amor A Gente Inventa

Bete Balanço

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados