“Pensei que devia fazer algo para celebrar os 20 anos do ‘The Soul Sessions’”, diz Joss Stone sobre turnê com passagem pelo Brasil

Em setembro de 2003, Joss Stone iniciou de fato a sua carreira com o lançamento do álbum de estreia, “The Soul Sessions” – composto por novas versões de clássicos soul das décadas de 60 e 70. Cerca de 20 anos depois, a cantora resolveu revisitar o trabalho e comemorar a sua existência com uma turnê mundial, "20 Years of Soul", que passará pelo Brasil neste mês, em São Paulo, Belo Horizonte, no Breve Festival, e Curitiba.

Durante uma entrevista remota exclusiva à Alpha FM, em março, a britânica – rodeada dos filhos, sorridente e carismática – explicou, da sua sala de estar, como surgiu a ideia de realizar a série de shows e como decidiu o repertório.  

“Quando eu estava dando entrevistas no ano passado, os jornalistas me perguntavam o que eu ia fazer para comemorar os 20 anos [do ‘The Soul Sessions’]. Eles realmente me lembraram desse fato, eu não tinha percebido. Então eu pensei que devia fazer alguma coisa. Tentei escolher as músicas com base no que as pessoas queriam ouvir. Por isso, criamos uma enquete online, na qual os fãs poderiam votar em suas músicas favoritas de cada álbum. Quando eu estava fazendo o setlist, usei os resultados da enquete e tentei encontrar uma maneira de encaixar tudo em 90 minutos. Espero que as pessoas gostem.”

Pelas redes sociais, em fevereiro, ela compartilhou um vídeo dos ensaios. Apesar do clima festivo e leve do registro, Stone destacou que o seu relacionamento com a banda e cantores de apoio é relativamente “novo” e que ainda está se acostumando com os recentes companheiros.  

“Na verdade, essa banda é composta principalmente por pessoas novas, com quem eu só trabalhei nos últimos dois anos. É bem interessante porque eu trabalhei com minha antiga banda, pelo menos com o baixista Pete Iannacone, desde os meus 15 anos. E então ele percebeu que era um chef incrível e, durante a pandemia, seguiu esse caminho. Fiquei tipo ‘meu Deus, vou ter que entrar em turnê sem o Pete, o que vou fazer?’, foi horrível. Mas é engraçado, seguimos nossos caminhos e voltamos a nos encontrar e a nos separar. Você meio que se apaixona pelos membros da sua banda porque eles viram sua família. Esses integrantes de agora são incríveis, são como nossa nova família. Os conheço há pouco tempo, mas é muito divertido, é como respirar ar fresco.”

Em relação aos vestidos utilizados nas apresentações, Joss afirmou que não há muito critério para as escolhas. Ela preza por roupas confortáveis e, claro, cantar de pés descalços – uma de suas marcas. Ainda assim, tem alguns segredos de moda:  

“Eu amo ficar confortável. Portanto, vestidos são minhas opções. Nada muito difícil de colocar e tirar. Eu nunca uso sapatos porque não quero cair. Eu só quero estar confortável. Eu não foco muito nas roupas porque isso não importa tanto quanto a música. Mas é divertido me vestir. Minha amiga Sinclair aqui no Tennessee é incrível. Eu costumava comprar online vestidos de verão na loja ASOS com entrega no dia seguinte e torcia para dar certo. Eu moro em Nashville, há um lugar na estrada onde eles alugam os vestidos para que você possa usá-los sem pagar o valor cheio e depois devolvê-los. Então Sinclair vai até esse lugar, pega vários vestidos, faz um acordo, já que eu não consigo devolver em três semanas, e vai até minha casa para eu experimentar, é brilhante. Hoje ela está vindo às 15h30 para eu escolher os vestidos da última turnê.”

Quando perguntada sobre uma ligação entre a sua primeira vinda ao Brasil, em 2008, e o momento atual de sua vida profissional, a artista brincou entre risadas que “não lembra de nada” do que aconteceu naquela época, a comparando com a personagem Dory (conhecida justamente por esquecer das coisas), do filme “Procurando Nemo” (2003). De qualquer forma, ela ressaltou que a América do Sul é memorável e que está empolgada para vir ao país. Por fim, se auto-descreveu com modéstia, como “uma mulher que apenas canta suas músicas e está se divertindo, espero que eu possa continuar me divertindo daqui a 20 anos”. 

Agradecendo em português, a britânica despediu-se deixando um recado para os admiradores daqui:
“Obrigada por estarem comigo todos esses anos. Estou tão animada para cantar para vocês. Obrigada por me ajudarem a tornar o setlist tão emocionante. Vou levar o meu bebê Shack comigo. E estou muito animada para a turnê aí, é muito legal ainda estarmos juntos depois de todos esses anos.“

Joss Stone em São Paulo

Serviço:

Data: Quinta-feira, 20/04/2023
Local: VIBRA SÃO PAULO – Avenida das Nações Unidas, 17.955 – Vila Almeida
Horário de abertura das portas: 19h00
Horário de início do show: 21h30
Classificação indicativa: 18 anos, menores de 18 anos a entrada é permitida apenas com autorização do responsável legal.
Acessibilidade para PCD.

Vendas de ingressos: www.uhuu.com
Data do início de vendas: Quinta-feira, 10/11/2022 às 15h00

Preços dos ingressos:
Camarote – R$900 / Meia R$450
Mesa Premium – R$800 / Meia R$400
Mesa Setor 1 – R$720 / Meia R$360
Mesa Setor 2 – R$640 / Meia R$320
Poltrona – R$660 / Meia R$330
Plateia Superior – R$530 / Meia R$265
Visão Parcial – R$390 / Meia R$195
Informações sobre meia entrada: A meia entrada é destinada para estudantes, jovens de baixa renda até 29 anos, professores, pessoas acima de 60 anos e PCD.
Bilheteria física: Bilheteria da Vibra São Paulo
 

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados