Saiba a relação entre a queda de cabelos e a Covid-19

A perda de cabelos é uma queixa recorrente durante a consulta dermatológica, acometendo tanto homens quanto mulheres em alguma fase da vida.

Agora, em tempos de pandemia, a queda de cabelos ganhou destaque entre as demandas dos pacientes. Numa primeira impressão, pouco cuidadosa, daríamos uma justificativa simplista: é o stress. Mas seria ele o grande vilão para a queda? Certamente não! O stress pode ser “incriminado” pela queda de cabelos, mas como diagnóstico de exclusão, ou seja, após afastarmos as outras causas de queda de cabelos.

Durante esses últimos dois anos, descobrimos uma nova causa de queda, o Covid. Cerca de 35% dos pacientes que foram contaminados pelo coronavírus manifestaram algum grau de queda de cabelos.

Esta queda causada pela infecção viral é chamada de eflúvio telógeno, e ocorre entre 6 a 8 semanas após a infecção e vai desde um aumento da queda, a uma queda muito volumosa que assusta demais os pacientes e nem sempre é relacionada à gravidade da doença. Sabemos também que é uma queda autolimitada e que esses fios irão nascer novamente, desde que não haja outras causas associadas, tais como anemia, deficiências nutricionais, alterações de tireoide, entre outras.

Apesar de a queda causada pelo processo inflamatório, desencadeado pelo vírus, ser aflitiva, sabemos que esses fios irão se recuperar. Mas procure seu dermatologista, ele é o profissional que vai poder ajudá-lo a confirmar as causas deste problema e auxiliá-lo nessa jornada.

Dra. Meire Gonzaga, dermatologista, CRM: 91298 • RQE: 37400, em parceria com o Saúde Minuto

spot_img

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados