Sequência de Classe: A história de “Monte Castelo”

Exatamente há 30 anos, a Legião Urbana se encontrava em uma encruzilhada. Após tantos hits e turnês, como cumprir a missão de produzir o seu quarto LP, em meio à uma inesperada crise criativa de Renato Russo?

A resposta viria após um exercício genial do autor, combinando em Monte Castelo trechos da Bíblia, versos de poesia lusitana e um título que remete à Segunda Guerra Mundial (Monte Castelo, na Itália, deu nome à principal batalha do exército brasileiro (FEB), vencida em 22/2/1944).

Demissão legionária

Já sem o baixista Renato Rocha (demitido por constantes atrasos) o álbum que viria se chamar As Quatro Estações demorou para se materializar.

Após dois meses trancados no estúdio da EMI-Odeon na Rua Mena Barreto, 151, Renato Russo decidiu romper seu bloqueio, após o produtor Mayrton Baia pressiona-lo, ameaçando abandonar o projeto.

Para abrir sua nova composição (inspirada por nomes como Brian Eno e Giorgio Moroder), Renato abriu a Bíblia Sagrada no capítulo 13 de Corintios:

 

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine”…

 

A escolha do verso ganharia uma adaptação para a letra:

 

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e falasse a língua dos anjos sem amor eu nada seria”…

Poesia portuguesa

Com introdução e primeiro verso definidos, Renato Russo teria de finalizar a música. E o mash-up continuou com o auxílio de um soneto do lisboeta Luis Vaz de Camões

 

Amor é fogo que arde sem se ver,

é ferida que dói, e não se sente;

é um contentamento descontente,

é dor que desatina sem doer…

É um não querer mais que bem querer;

é um andar solitário entre a gente;

é nunca contentar-se de contente;

é um cuidar que ganha em se perder

 

Apesar das dificuldades, o álbum As Quatro Estações (lançado em outubro de 1989) foi um dos mais bem-sucedidos da Legião Urbana, vendendo mais de dois milhões de cópias.

@lphaFM

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados