Como a música pode acalmar os pets que ficam sozinhos

Recurso pode agir como calmante natural

Como a música pode acalmar os pets que ficam sozinhos

Por: Vanessa Rabello


Que a música acalma não há dúvidas. Muitas vezes, em momentos de stress ou tensão, ouvir aquele cantor, cantora ou banda que tanto admiramos pode ser um bom aliado para nos acalmar e trazer de volta o bom humor. Mas você sabia que a música pode ajudar a acalmar também os pets?


A música pode ser um alívio para os bichinhos que ficam muito tristes ao ficarem sozinhos, funcionando como um calmante natural.


Segundo a médica Veterinária da Clinicão, Ana Paula Camargo Silva, a musicoterapia para cães é muito usada nos Estados Unidos e chegou no Brasil em 2012. A técnica é reconhecidamente um excelente tratamento para os animais que sofrem de transtornos, utilizada criteriosamente para acalmar cães que passam por dificuldades emocionais ou comportamentais.


“É um prazer positivo, não há contraindicações. A música é capaz de fortalecer a memória, acalmar e até aliviar dores”, afirma. Ana Paula ainda complementa informando que um estudo feito com pacientes caninos de um hospital veterinário: nele um grupo de cães recebeu sessões de musicoterapia com harpa por 60 minutos, e demonstrou uma redução na inquietação, ansiedade, agressividade e na frequência respiratória, em comparação com o grupo controle que não recebeu a terapia.


Além da musicoterapia, existe a Audioanalgesia, que é um tratamento alternativo que utiliza a música não só para reduzir a dor, como também para aliviar a experiência negativa afetiva que acompanha.


Jade Petronilho, veterinária e Coordenadora de Conteúdo Veterinário da Petlove, afirma que estudos com humanos apontam que as músicas influenciam de forma inconsciente não somente pelo que diz a letra, mas principalmente pela melodia. “Com os animais, é bem possível que, por não entenderem o que cada canção diz, o que vale mesmo são as batidas que elas apresentam. Sendo assim, uma música mais calma tende a deixá-los mais relaxados, enquanto as mais "pesadas" podem deixá-los mais agitados e excitados”.


Atualmente existem canais de TV, no Youtube e Spotify voltados para este tipo de entretenimento, que levam em conta as preferências apontadas em estudos realizados com os animais. “Cada espécie tende a ter um gosto particular, mas para cachorros e gatos, independentemente do momento, o ideal são as mais calmas, que não remetem à agitação”, conta Jade.


O volume ideal para ser deixado para o pet é o que usamos comumente para músicas ambiente, afinal, os bichinhos possuem uma capacidade maior de audição e podem ouvir algumas vibrações que nós não percebemos.


“A pessoa pode ligar o rádio já quando estiver se preparando para sair e seguindo sua rotina normal até a hora da partida. Ela pode manter o som durante toda a sua ausência, tomando cuidado para que não entre no meio da programação algo que possa agitar o pet nesse período”, orienta a veterinária da Petlove.