Oscar 2020 quebra barreiras do idioma e consagra Parasita como o grande filme da vez

Parasita, Rocketman, Coringa, 1917 e são alguns dos premiados da noite

O sul-coreano Parasita faz história no cinema! Das seis indicações, a produção foi premiada em quatro categorias: Melhor Roteiro Original, Melhor Diretor, com Bong Joon Ho, Melhor Filme Internacional e o mais aguardado de todos: o de Melhor Filme. Trata-se do primeiro longa com um idioma que não é o inglês que levou a estatueta neste quesito. O drama é genial em todos os detalhes e vale cada segundo. A produção ainda está em cartaz aqui em São Paulo, vale encontrar a sala mais próxima de você!


Não deu pé pra brasileira Petra Costa, diretora do documentário Democracia em Vertigem. Quem levou a melhor foi Indústria Americana que, assim como a produção nacional, também pode ser visto na Netflix.


O longa 1917 também saiu da premiação consagrado. A produção, do diretor Sam Mendes, ganhou em três das sete categorias a que estava indicado: Melhor Fotografia, Melhores Efeitos Visuais e Melhor Mixagem de Som.


As estatuetas de Melhor Ator e Melhor Atriz praticamente não foram surpresa no Oscar – e foram escolhas bastante aplaudidas. Joaquin Phoenix e Renée Zellweger brilharam – cada um com um clássico diferente. Ele, na pele do Coringa. Ela, interpretando um dos grandes nomes do cinema: Judy Garland. O filme do vilão dos quadrinhos estreou aqui no Brasil em outubro e agora restam poucas salas com exibição – mas ainda dá pra caçar a mais próxima pra curtir essa superprodução. Já Judy conta com várias sessões espalhadas pela capital paulista.


O Oscar de Brad Pitt como Melhor Ator Coadjuvante é só mais um dos motivos para você ir assistir Era uma vez... em Hollywood, de Quentin Tarantino. Restam poucas salas de cinema com sessão do longa aqui em São Paulo. E se quiser ver porque Laura Dern levou a estatueta de Melhor Atriz Coadjuvante, História de um Casamento é uma produção da Netflix que pode ser assistida no streaming. Na trama, ela é uma advogada enfática e determinada, especialista em divórcios.


Uma das apostas deste domingo era o filme Jojo Rabbit, indicado para cinco categorias, mas acabou encerrando a noite com apenas o prêmio de Melhor Roteiro Adaptado.


Além da consagração de Joaquin Phoenix, o Coringa também foi celebrado com o prêmio de Melhor Trilha Original, da única mulher concorrente na categoria: a islandesa Hildur Guðnadóttir. Sir Elton John subiu ao palco visivelmente emocionado, ao ser condecorado por “Love me again”, Melhor Canção Original no Oscar 2020, pelo filme-biografia dele, de Rocketman.


 


 


 

CONHEÇA MAIS SEU ARTISTA