Dia da Música: Banda Kimera & The King Crabs une música e meditação em novo projeto

Primeiro single “Manno” já está disponível nas plataformas digitais

Dia da Música: Banda Kimera & The King Crabs une música e meditação em novo projeto

Por: Larissa Martin


Neste dia 01 de outubro é comemorado o Dia da Música e, para tanto, a gente conta sobre um projeto que mescla a música e meditação. A banda Kimera & The King Crabs lançou neste mês o single de estreia do grupo, a faixa "Manno". A ideia do projeto é trazer música de qualidade para os ouvintes não apenas como uma forma de entretenimento, mas também com o propósito de cura. O K&KC explora ritmos musicais com ondas sonoras que influenciam estados emocionais e, tudo isso é feito com a utilização de estudos científicos aprofundados, como técnicas de áudio binaural e terapias milenares. 


São quatro integrantes na banda: Diego Filomeno, Paulo Zampieri, Leonardo Salles e Kim Jackson. A Alpha bateu um papo com o Kim, que nos contou um pouco mais sobre como surgiu o K&KC e qual é a missão deles. Segundo ele, após diversas experiências com a música e meditação, ele se aprofundou em questões sobre como o corpo reage às vibrações, conectando tudo à física quântica e o poder das ondas sonoras. Nesta caminhada, Kim encontrou com os outros integrantes do grupo uma vontade em comum. "A nossa missão é trazer para a proposta musical conhecimentos que sejam além da forma como a música é enxergada pelo mercado mainstream hoje e apresentar à sociedade a existência desse poder escondido, onde a música serve como um instrumento terapêutico". 


Os instrumentos utilizados variam dos mais exóticos, como Tibetan bowls, gongos, tambores africanos e brasileiros, coros vocais às tradicionais percussões, guitarras e trompetes. Kim conta que o projeto reúne muita pesquisa de todos os membros, principalmente a respeito da Worldmusic, que simboliza um intercâmbio entre os estilos musicais dos povos ao redor do mundo. "Você pega o conhecimento de música ancestral e ressignifica ele com elementos de música eletrônica, voz, guitarra. No ponto de vista da musicalidade, a banda tem essa proposta, de olhar o passado da música, resgatar e trazer uma nova visão", explica.


Cada lançamento da banda contará com uma interpretação em "sound healing journey", que corresponde à versões mais extensas, de até 25 minutos, adaptadas com os propósitos de meditação e cura. O primeiro álbum da banda será lançado no final deste ano e terá 10 faixas originais e suas respectivas 10 “sound journey”. "A versão original é mais percussiva e dançante, enquanto a segunda é destinada à introspecção, para separar um tempo para si e praticar o autoconhecimento", conta. “[A nossa música] é uma experiência que traz outros campos de reflexão para a nossa existência e não apenas o êxtase. O nosso propósito é que ela possa abrir novos campos de experimentação da existência, que não apenas o êxtase coletivo, que é o propósito maior da música Pop, por exemplo”. 


Kim está no mercado da música desde pequeno. Cresceu em uma família já envolvida no ramo e, ao passar dos anos, decidiu não trabalhar no seu curso de formação, que é Economia. “Eu não queria trabalhar em banco, não queria trabalhar em consultoria, então, comecei a produzir alguns eventos. Nesse ramo, principalmente focado na música eletrônica, eu comecei a me aproximar de marcas e festivais e, a partir de então, me aproximei também da construção de carreiras artísticas. Isso tudo me trouxe um conhecimento muito grande sobre o mercado do showbusiness, ampliando muito as fronteiras”, explica. Foi neste meio em que ele se encontrou profissionalmente falando mas, percebeu que algo ainda faltava para si mesmo. “Foi aí que encontrei uma verdade pra minha vida, que é essa proposta de levar a música como poder de cura para as pessoas. Eu não larguei a minha carreira de empresário de showbusiness, mas, hoje em dia existe esse equilíbrio sobre este projeto pessoal que é o Kimera & The King Crabs, onde eu encontrei uma nova faceta da música para mim, que é uma faceta também infinita em possibilidade de pesquisa e expansão”.


O empresário opinou ainda sobre qual é a importância da meditação e da música, juntas. Como estes instrumentos são importantes nos dias de hoje para quem vive nas grandes metrópoles, está cheio de atividades, com informações que não param de chegar, sem um tempo para parar e respirar. “A meditação é tão importante quanto qualquer outra tomada de decisão sobre o seu bem-estar, porque, na verdade, ela é onde você consegue ter tempo pra se desconectar da sua mente racional constante e se conectar por um momento com o seu corpo”, explica. “A música caminha muito junto de várias práticas meditativas, é uma relação milenar. O que a gente está trazendo aqui é tornar essa prática antiga mais popular onde a gente vive, no ‘hoje em dia’ da pessoa que vive em uma metrópole e que é impactada por informação o tempo inteiro”. 


A primeira faixa do projeto, a “Manno”, já pode ser encontrada em todas as plataformas digitais e, a versão “sound healing journey” está disponível no app de meditação Insight Timer. Sobre a importância da música, Kim deixa claro a sua opinião sobre a universalidade da linguagem musical: “A responsabilidade dela é muito grande porque ela é uma linguagem intuitiva e faz com que todos consigam se conectar com harmonia”. 


thumb-1
9
thumb-1
10
thumb-1
12
thumb-1
11


Confira abaixo o primeiro single,  a faixa "Manno":