Gracie Abrams vivencia situação inusitada com Taylor Swift: “ela agiu como uma lenda”

Cantoras viraram amigas no fim de 2021, e, desde então, cultivam uma amizade e uma parceria profissional

Não é segredo que Taylor Swift e Gracie Abrams viraram amigas. As duas acabaram apresentadas uma para a outra por meio do produtor em comum Aaron Dessner e, então, passaram a cultivar uma amizade e uma parceria profissional em dezembro de 2021.

Tanto é que, além de excursionarem juntas na “The Eras Tour”, colaboraram na faixa “Us”, presente no próximo disco de Abrams, “The Secret of Us”, que sairá no dia 21 de junho. Sobretudo, a canção permanece em segredo, gerando uma expectativa ainda maior nos fãs.

Conversando recentemente com a Billboard, a cantora mais jovem explicou como surgiu a canção. Também aproveitou a oportunidade para comentar sobre um momento inusitado vivido com sua ídola: o dia em que quase colocaram fogo na cozinha de Swift.

O veículo destacou:

“Em algum lugar no rolo da câmera de Gracie Abrams, está um vídeo de Taylor Swift em sua cozinha em Tribeca, apagando delirantemente uma fogueira que ameaça consumir a ilha central. Atrás das lentes, a cantora e compositora de 24 anos chora e ri enquanto sua heroína de infância trabalha destemidamente para salvá-las do perigo. As duas ouviram a vela cair mais cedo naquela noite, mas Swift garantiu a Abrams que provavelmente era um de seus gatos batendo por aí. Já passa das 6 da manhã, depois de uma noite de jantar e bebidas quando o fogo finalmente se apaga.”

Assim, a artista complementou, elogiando a estrela:

“Ela agiu como uma lenda – não sei como àquela hora ou em nosso estado, ela sabia exatamente o que fazer. Nós dois tivemos uma tosse insana por causa da fumaça do extintor de incêndio por semanas.”

Sobre “Us”, parceria de Taylor Swift e Gracie Abrams

Antes do incidente, a dupla tinha acabado de compor “Us”. Entrando no clima, as artistas passaram a noite ouvindo músicas do novo disco, como do “The Tortured Poets Department” – à época, nem anunciado.

Gracie sentiu-se “como crianças do teatro” ao som de “But Daddy I Love Him”, enquanto, com “The Smallest Man Who Ever Lived”, ficou incrédula. Então, quando começaram a analisar os instrumentais enviados por Aaron Dessner, a “magia” aconteceu:

“Algo chamou nossa atenção ao mesmo tempo, com muita força e rapidez. Então corremos para o piano e começamos a escrever essa música… eu costumava fantasiar sobre esse tipo de coisa quando criança.”

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados