Cinco acidentes comuns com crianças e como evitá-los

Com a faixa etária pediátrica todo cuidado é pouco. É preciso estar sempre alerta, com atenção especial em todos os ambientes, internos e externos e identificar o que pode significar uma potencial causa de risco de acidentes, agindo, assim, de maneira preventiva.

Hoje, as causas externas – os acidentes – são as principais causas de óbitos nas crianças de 1 a 14 anos, morrendo por ano, cerca de 3.300 crianças no Brasil.

Dentre os vários tipos de acidentes, os mais comuns são:

ACIDENTES DE TRÂNSITO – Os acidentes de trânsito envolvendo crianças são mais prevalentes quando elas estão em um veículo, comparado a quando estão atropeladas na condição de pedestres. Esse tipo de acidente é a principal causa de morte de crianças de 5 a 14 anos no país. Portanto, para evitar o risco de acidentes, devemos seguir as regras de trânsito e transportar nossas crianças de maneira segura nos veículos, sendo obrigatório o uso de cadeirinhas ou assentos de elevação de acordo com cada faixa etária.

AFOGAMENTO – Os afogamentos são a principal causa de morte, sobretudo na faixa etária de 1 a 4 anos, e acontecem nos mais diversos locais: piscinas, tanques, bacias e baldes com água, em rios e no mar, por isso alguns cuidados são fundamentais. É muito importante sempre ter a criança no seu campo de visão, quando estiver em clubes, praias, rios, ou seja, em qualquer lugar que tenha água por perto. As piscinas devem ser cercadas e cobertas, de forma segura. Já nas praias, o importante é respeitar a sinalização dos salva-vidas e ser o mais precavido possível com a correnteza do mar. Usar sempre colete ou bóias adequadas.

SUFOCAMENTO – A sufocação acontece quando há obstrução das vias respiratórias, que pode ser causada por brinquedos, alimentos pequenos, objetos macios e, até mesmo, com conteúdo gástrico/ vômito. É a principal causa de morte acidental de bebês de até 1 ano de idade. Para evitar o problema, devemos prestar atenção nos acessórios das roupas, peças pequenas de brinquedos, nunca dar ou deixar que a criança se alimente deitada e não oferecer comida enquanto ela estiver falando, chorando ou se movimentando.

QUEIMADURAS – As queimaduras são recorrentes e mais comuns de ocorrerem na cozinha de casa, festas juninas e fim do ano. Para evitar as queimaduras, os pais precisam impedir o acesso das crianças a caixas de fósforo, ferro de passar roupa, com atenção especial ao fogão,

colocando as panelas com os cabos voltados para dentro, nunca para fora. Se o acidente acontecer, o ideal é colocar a queimadura em água corrente até ida ao hospital.

QUEDAS – Apesar de estarem em quinto lugar no ranking de mortes, as quedas são as campeãs em hospitalizações. As quedas são de ocorrência super comum na infância, portanto, temos que redobrar os cuidados. O local de dormir deve ser seguro em berço adequado ou cama com proteção nas laterais; usar cinto de segurança nos brinquedos, cadeirões de alimentação e carrinhos de transporte. Para pratica de esportes, usar capacete, protetor de punho, joelheiras e cotoveleiras.

Por Dra. Mariana Vilasboas , pediatra da Pineapple Medicina Integrada, em parceria com o Saúde Minuto. 

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados