Dia Internacional do Livro Infantil: o convite de Eiko Kadono à imaginação das crianças

O Dia Internacional do Livro Infantil, celebrado em 2 de abril, leva para o mundo neste ano a mensagem de uma autora japonesa. A veterana Eiko Kadono, 89, convida os pequenos leitores para uma viagem. “As histórias viajam, voando nas asas, desejando ouvir a batida alegre do seu coração”, instiga (veja abaixo a carta completa).

A autora do romance infantil “Majo no Takkyūbin” (em português: “O Serviço de Entregas da Kiki”), que, aliás, virou até anime, venceu em 2018 o prêmio Hans Christian Andersen. A premiação é entregue pelo Conselho Internacional sobre Literatura para Jovens, sediado na Suíça, criador da data especial em 1967. O patrocinador em 2024 é o Japão.

O motivo para Dia Internacional do Livro Infantil ser no segundo dia de abril é o aniversário do referido Christian Andersen (1805-1875). O escritor dinamarquês, contemporâneo de Jacob e Wilhelm Grimm, os Irmãos Grimm, passeou por vários gêneros literários. Mas foi nos contos para crianças que mais se destacou.

Hans Christian Andersen escreveu, por exemplo, “A Pequena Sereia” (1837) e o “Patinho Feio” (1843), obras que se tornariam clássicos. De acordo com especialistas, a prática da leitura estimula o desenvolvimento das crianças, aprimorando a concentração, a memória e o raciocínio.

No Brasil, existem, ao mesmo tempo, dados positivos e negativos sobre o hábito entre os mais jovens. Um levantamento do Instituto Pró-Livro, feito em mais de 200 cidades em 2020, revelou que 7 em cada 10 crianças leem quase todos os dias. Não há um estudo, contudo, que mostre se houve mudança no pós-pandemia de covid-19.

Além disso, uma outra pesquisa de 2022, parceria da Fundação Maria Cecília Souto Vidiga com a USP, indicou que cerca de 55% das 3.467 turmas de educação infantil avaliadas não proporcionavam momentos de leitura de livros de histórias em sala de aula.

Atravesse os mares na asa da sua imaginação (Eiko Kadono)

As histórias viajam, voando nas asas,
Desejando ouvir a batida alegre do seu coração.

Sou uma história itinerante. Eu voo para qualquer lugar.

Nas asas do vento, ou nas asas das ondas, ou às vezes em minúsculas asas de areia. Claro, eu também viajo nas asas das aves migratórias. E até mesmo aquelas de aviões a jato.

Eu sento ao seu lado. Abrindo as páginas, conto uma história, aquela que você quer ouvir.

Você gostaria de uma história estranha e maravilhosa?

Ou que tal uma triste, assustadora ou engraçada?

Se você não quiser ouvir agora, tudo bem também. Mas eu sei que um dia você vai. Quando fizer isso, basta gritar: “História de viagem, venha. Sente-se ao meu lado!

E eu voarei para lá.

Tenho tantas histórias para compartilhar.

Que tal a história de uma ilhota cansada de ficar sozinha que aprendeu a nadar e saiu em busca de um amigo?

Ou a história de uma noite misteriosa em que duas luas apareceram.

Ou aquela sobre o Papai Noel se perder.

Ah, eu posso ouvir seu coração. Está batendo mais rápido.

Bom, bom! Bum, bum! Pumba, pumba!

A história de viagem saltou para dentro e acelerou seu coração.

Você se tornará um em seguida, abrindo suas asas para voar.

E assim nasce mais uma história de viagem.

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados