Sexta-feira (10) de SPFW brilha com protagonismo de David Lee e Ronaldo Silvestre

A Alpha esteve presente nesta sexta-feira (10) da São Paulo Fashion Week (SPFW) e pôde acompanhar de perto os desfiles de Ronaldo Silvestre e David Lee. O evento, que começou ao 12h, já estava movimentado para o fim da tarde e ambos os shows tiveram suas fileiras esgotadas.

 

O desfile de Silvestre atrasou cerca de uma hora, porém, não deixou a desejar, muito pelo contrário, o estilista entregou muito com a sua coleção “É sobre o Brasil”, ele buscou trazer para a passarela cores, sobreposições e estampas que lembrassem a cultura pop brasileira, mais focada na figura icônica de Carmem Miranda.

 

Um detalhe especial é que a coleção foi realizada por 60 mulheres que estão aprendendo corte e costura na ONG formada pelo próprio, conhecida como ITI – Igualdade, Transformação & Inovação Social, foi fundada em 2009. A ONG atua na capacitação profissional, geração de renda, empreendedorismo e equidade de gênero.

 

Exatamente por falar sobre o Brasil que a cartela de cores foi dominada pelo verde e amarelo presentes na bandeira. Além disso, pode-se observar muita extravagância nos bordados e formas, dando preferência pelas técnicas manuais ancestrais, como o macramê, técnica essa que não utiliza ferramentas  para ser confeccionado, sendo assim  uma forma de tecelagem manual apenas com uso de nós em linhas.

 

O beauty artist responsável pelo desfile foi Ricardo dos Anjos que para incorporar o dourado dos acessórios, fez com que muitas das sobrancelhas fossem coloridas pela cor do ouro. Ademais, os cabelos eram muito contrastantes: ou numa versão volumosa ou super lisos, e até em versão nuvem.

 

Já “Barlavento”, coleção assinada por David Lee, aconteceu na sequência. Com uma proposta diferente e um pouco mais esportiva, o desfile contou com muita leveza e fluidez, uma vez que, tem o vento como referência e ponto de reflexão para a coleção.

 

Foi a partir das pipas de kitesurf, esporte muito praticado em Fortaleza, é que Lee começou a pensar nas peças,e é daí que veio os shorts mais curtinhos, vestidos e jaquetas e acessórios feitos em lona reutilizada. “Essa é uma coleção que tem um upgrade muito grande de pesquisa têxtil, como também da própria imagem do que esperar da David Lee”, disse ele em entrevista exclusiva a Alpha.

 

Sobre a questão da sustentabilidade, David ressalta: “Uso muito crochê e ele é uma das artesanias mais sustentáveis porque trabalhamos com linha, então quase nunca há desperdício. Então, o pouco que sobra a gente pode fazer mais”.   Juntando a ideia do vento com o crochê, mais um tecido com mais pelo, jeans com lavagem a laser e espirais que lembram o ar, temos uma das melhores coleções já apresentadas pelo estilista.

 

Quem assina a beleza artística da produção é Maxweber Lira, que define a maquiagem como “Invernal, natural, sofisticada e com uma pegada de abuso”.Segundo ela os passos foram: primer, hidratação da pele, um olho mais puxado, muito blush e um toque de gloss para finalizar. Lira foi chamada por David para ser beauty artist “Estou muito feliz, principalmente por ser a única travesti que assina um desfile nesta edição da São Paulo Fashion Week. Isso é uma coisa que tenho a ressaltar, a gente escuta falar de tanta diversidade, mas na realidade eu não a vejo muito”.

 

No final do dia o evento estava lotado e vale falar que as marcas Greg Joey, Apartamento 03, Weider Silveiro, HIST e Dendezeiro também se apresentaram no dia 10.

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados