Os melhores álbuns de estreia de todos os tempos, segundo a Rolling Stone

Revista Rolling Stone listou os melhores álbuns de estreia de todos os tempos.

Eles chegaram com os dois pés na porta. Carregam o dom natural de pertencerem à carreira artística, especificamente à musical. Ademais, é nesta era que os fãs fiéis surgem e continuam mesmo após o triste anúncio do fim dos trabalhos. Na prática, o assunto aqui são os álbuns de estreia.

Não é incomum ouvir um apreciador de música dizer que prefere as produções antigas do que as novas. Talvez, seja pela essência crua que os artistas se propunham a entregar, já que não tinham nada a perder no início. Ou simplesmente porque estavam uma fase cheia de inspirações e tempo livre para escrever hits atemporais que seriam aclamados por uma legião de fãs.

Assim, confira os melhores álbuns de estreia de todos os tempos, segundo a Rolling Stone:

#5 – Horses (Patti Smith)

Lançado em 1975, “Horses” é o primeiro álbum da cantora norte-americana Patti Smith. Com sua genialidade na poesia, a artista produziu uma verdadeira obra sonorizada pelas batidas características do rock & roll. Ademais, o trabalho contou com a ajuda intuitiva de uma banda matadora – o pianista Richard Sohl, o guitarrista Lenny Kaye, o baixista Ivan Kral e o baterista Jay Dee Daugherty, além de seu amigo Robert Mapplethorpe, que tirou o retrato da icônica capa.

#4 – Enter the Wu-Tang (Wu-Tang Clan)

1993 foi o ano do hip-hop graças a um grupo de 9 homens vindos de Staten Island, Nova York, e fascinados pela mitologia das artes marciais de Hong Kong. Contendo 12 faixas ao todo, o disco se enche de samples de soul empoeirados e pianos arrepiantes. Ademais, mesmo com o lançamento de outros trabalhos, os fãs do grupo ainda ovacionam “Enter the Wu-Tang”. 

#3 – The Velvet Underground & Nico (The Velvet Underground)

Há quem diga que o rock não existiria sem o espírito exibido pela banda nova-iorquina “The Velvet Underground e Nico”. É um disco de amplitude destemida e profundidade lírica, em que se expressa o desejo carnal e o vício em drogas. Ademais, o conhecido ‘Banana Album’ (assim chamado por sua capa desenhada por Warhol) é o disco de rock mais profético já feito, segundo fãs apaixonados pelo gênero.

#2 – Ready to Die (The Notorious B.I.G)

Em entrevista à Rolling Stone, em 1995, B.I.G declarou que “Ready to Die” passeia em diversas cenas em que ele vivia enquanto escrevia as canções. Seja as manhãs apressadas para ir para a escola, as aulas matadas, as responsabilidades no lar e a criminalidade: tudo isto se misturou com batidas vibrantes do hip-hop para que os ouvintes pudessem se deliciar com um bom resultado final.

#1 – Ramones (Ramones)

Um sucesso de 1976, “Ramones”, do grupo que leva o mesmo nome, surgiu de sentimentos reais – como alienação, isolamento e frustação – que todos sentem, desde os 17 até os 75 anos. Assim, a banda chegou no mundo da música agradando a um público massivo, que via na postura anti-social dos ídolos uma representatividade para suas histórias singulares.

Leia também: Quem são os melhores vocalistas de rock, segundo a Billboard?

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados