Quem é a primeira mulher indígena dos EUA a ser indicada na categoria “Melhor Atriz” do Oscar?

Neste domingo, 10 de março, acontece a 96º premiação do Oscar. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas premia as melhores produções, atuações e direções. No entanto, muita gente inclusive leva as indicações como uma fonte de curadoria para realizar uma maratona completa. Um dos destaques deste ano, é Lily Gladstone.

Protagonista de “Assassinos da Lua das Flores” de Martin Scorsese, a atriz interpreta Mollie Kyle, uma mulher Osage que se apaixona por Ernest Burkhart (Leonardo DiCaprio). Em suma, o filme é baseado no livro de David Grann, que conta a história real dos assassinatos de Osage na década de 1920. Aliás, ela ganhou o Globo de Ouro de “Melhor Atriz”, tornando-se a primeira indígena dos Estados a Unidos a receber esta honraria.

Sobre Lily Gladstone 

Nascida em 2 de agosto de 1986, em Kalispell, Montana, a atriz foi criada na Reserva Blackfeet em Browning, Montana. Ela é descendente de Piegan Blackfeet (Siksikaitsitapi), Nez Perce (Nimíipuu) e europeia. Aliás, a artista protagonizou vários filmes independentes, incluindo alguns aclamados pela crítica como “First Cow” (2019). A produção ganhou até o prêmio de Melhor Filme no New York Film Critics Circle Awards de 2020. Além disso, ela também atuou em peças de teatro com companhias como o Montana Repertory Theatre, Oregon Shakespeare Festival e Yale Repertory Theatre.

Sobre “Assassinos da Lua das Flores”

O filme, baseado no livro homônimo de David Grann, narra a história real dos assassinatos de membros da tribo Osage na década de 1920. Em síntese, a descoberta de petróleo em terras Osage os tornou as pessoas com a maior renda per capita do mundo na época, despertando a ganância de colonizadores brancos. Uma série de assassinatos misteriosos dizimou a tribo, e por conta disso o FBI precisa investigar.

Leia também: Relembre “Summer of Soul”, documentário ganhador do Oscar 2022

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados