O cachê simbólico recebido por Usher no Super Bowl 2024

Política de cachê feita pelo Super Bowl é diferente de outros shows comuns.

O cantor Usher fez história ao subir no palco do Super Bowl neste ano e se apresentar no intervalo da tradicional competição de futebol-americano da NFL. Em apenas 13 minutos de espetáculo, o rapper conseguiu incluir participações especiais na performance, cantar hits clássicos e músicas novas, além de entregar muito carisma durante todo o show. Assim, ele detém a apresentação mais assistida na história, com 129,3 milhões de visualizações, segundo a Front Office Sports.

Entretanto, não é novidade como funciona a política de cachê imposta pelo evento, e isso não foi diferente com Usher. Isso porque, apesar de ser um palco com grande visibilidade, os artistas se apresentam já sabendo que não serão pagos como geralmente são.

Assim, segundo o site American Songwriter, Usher recebeu um cachê de US$ 671 (cerca de R$ 3,3 mil na cotação atual e em transação direta). Em comparação à grandiosidade do cantor, nível de performance e o próprio reconhecimento global do Super Bowl, o valor pode ser considerado simbólico.

Contudo, uma das sacadas de realizar um show no intervalo da NFL é justamente o pós-apresentação. Estima-se que Usher consiga faturar US$ 100 milhões com vendas de ingressos, cópias de discos, streams e novos patrocinadores. Ademais, o espetáculo do cantor também ocorreu de forma estrategicamente pensada, já que ele lançou seu último álbum, intitulado “Coming Home”, dois dias antes da grande final. Aliás, a turnê “Past Presente Future” também já tem datas anunciadas para este ano.

Como funciona o cachê oferecido por show no Super Bowl

O pagamento acontece na chamada “escala sindical”, ou seja, ao lucro de seis ou sete dígitos que o show arrecada, segundo a Forbes. Na prática, esse valor seria equivalente a mais de US$ 1 mil por dia. Entretanto, devido ao tamanho do Super Bowl, os cantores saem ganhando com exposição ao público, o que impulsiona na venda de discos e visibilidade na carreira.

Um exemplo disto foi o que aconteceu com a cantora Rihanna, que entrou para a história com o seu show no Super Bowl em 2023. O espetáculo atraiu 118,7 milhões de telespectadores, o maior número da história da TV, de acordo com a Forbes.

Leia também: Stevie Wonder negocia vinda ao Rock in Rio, diz jornalista

Novos conteúdos

Relacionados

Relacionados