Vitiligo não é transmissível: conheça tratamentos

O vitiligo é uma doença autoimune caracterizada pela presença de manchas nacaradas ou brancas, feito Pérola, que podem aparecer em qualquer região do corpo, seja Faith, seja tronca, ou seja, extremidades ou ainda em região genital. Ela acomete tanto adultos quanto crianças. A etiologia ainda desconhecida, mas acredita se em alguns gatilhos, como as infecções e as alterações tireoidianas, além de desequilíbrios psicológicos. Ela pode aparecer qualquer período da vida do paciente, sendo mais comuns nas crianças e deve ser tratada precocemente. Hoje em dia a gente tem vários tipos de tratamento para estimular a repigmentação e ainda bloquear essa formação desses anticorpos que agridem os melanócitos que deixam de produzir a melanina, substância que dá pigmento a nossa pele. Os tratamentos variam desde terapia oral até alguns remédios via oral. Além dos dois tipos de tratamento, a medicina também faz uso da fototerapia, remédios imunobiológicos, e uso de alguns tipos de lazeres. O importante é que o diagnóstico seja feito precocemente pelo médico especialista, assim, a taxa de repigmentação melhora demais.

Outra coisa muito importante é que a gente deve desmistificar o vitiligo. A doença não é transmissível, não passa para ninguém. Este tipo de conscientização é muito importante para acabar com qualquer tipo de estigma e preconceito e sempre reforçar que o vitiligo tem tratamento.

Outra questão que eu considero muito importante para conversar com o paciente é que enquanto não conseguimos repigmentar, há a possibilidade de utilizar cosméticos para a cobertura das machas causadas pelo vitiligo, proporcionando maior conforto ao paciente enquanto o tratamento não causa grandes efeito. Alguns desses produtos cosméticos são resistentes à água, não impedindo banhos de piscina e idas à praia.

Por Dra. Meire Gonzaga, em parceria com Saúde Minuto

spot_img

Novos conteúdos

spot_img

RELACIONADOS

Relacionados